Sem categoria

11.700 aplicações maliciosos para Android por dia


O cibercrime lança cada dia 11.700 aplicações maliciosos para Android

O fabricante alemão contabilizou 3,19 milhões de novas ameaças até Setembro de 2018

O número de aplicações maliciosas desenhadas para atacar sistemas Android atingirá em 2018 uma nova marca negativa. Ainda não sabemos exactamente qual será o total, mas as 3,19 milhões de novas ameaças que vieram à tona durante os primeiros nove meses do ano já ultrapassaram os 3 milhões de aplicações maliciosas criadas em 2017 e quase igualam o total de 2016 (3,24 milhões, o ano mais produtivo até o momento). Se a criação de malware mantiver este ritmo, com 11.700 novas ameaças todos os dias, 2018 fechará com 4 milhões de novas aplicações maliciosas para o sistema operativo do Google.

A dupla ameaça: malware crescente e sistemas obsoletos

Em todo o mundo 8 em cada 10 pessoas usam um smartphone Android. Se considerarmos que estes dispositivos estão cheios de informações pessoais e profissionais, e que os cibercriminosos também os usam como acesso privilegiado a redes corporativas, é fácil entender por que eles se tornaram o alvo irresistível do cibercrime.

“Os números reflectem claramente que o nível de ameaças para Android não para de crescer, mas não podemos medir a vulnerabilidade dos nossos dispositivos apenas segundo esse número de malware. Tão preocupante como isso é a presença de um parque móvel, privado e comercial, em grande parte desactualizado. É essencial usar soluções de segurança, tanto para empresas quanto para particulares, e melhorar a distribuição de actualizações “, explica Angel Victoria, country manager da G DATA Sofware Iberia.

Projecto Treble: Android mais seguro agora?

O Android mantém uma dura luta com os seus dispositivos obsoletos, especialmente desde o último verão, quando a Google começou a abordar seriamente este problema. Com o lançamento do Android 8.0 (Android Oreo), a Google quis atacar a fragmentação da sua plataforma com o conhecido Projecto Treble, que vem basicamente para reorganizar a arquitectura do Android para evitar os gargalos comuns causados ??pelos fabricantes de terminais e operadoras cada vez que se lança uma nova versão do sistema operativo. Ou seja, teoricamente, a Google seria capaz de oferecer as actualizações com a agilidade que uma indústria cibercriminosa que claramente quer fazer o seu negócio à custa dos smartphones Android exige. Ou, pelo menos, melhorá-la significativamente. No entanto, mais de um ano após seu lançamento em Agosto de 2017, o Android 8 foi instalado em apenas um em cinco dispositivos, e a versão mais recente (Android 9 Pie) tem uma taxa de distribuição de menos de 0,1%.

Actualizações rápidas, essenciais para criar ambientes mais seguros

A chave para uma melhor protecção de smartphones e tablets está na distribuição oportuna das últimas actualizações de segurança. Investigadores de segurança apontam que os provedores de dispositivos também sejam obrigados a manter padrões mais elevados nesse respeito.

De acordo com um relatório do portal de notícias tecnológicas The Verge, desde o último verão, a Google exige que os principais fabricantes de smartphones Android forneçam actualizações de segurança por pelo menos dois anos. De acordo com os termos dos contratos, os telefones celulares devem receber pelo menos quatro actualizações de segurança da Google no primeiro ano e actualizações regulares no segundo. No final de cada mês, os dispositivos devem estar protegidos contra todas as vulnerabilidades descobertas mais de 90 dias antes. No entanto, este regulamento contratual tem várias limitações. Aplica-se apenas a smartphones que foram activados por pelo menos 100.000 utilizadores e a dispositivos que chegam ao mercado depois de 31 de Janeiro de 2018. Além disso, supunha-se que grande parte desse regulamento teria sido aplicado antes de 31 de Julho deste ano, mas há um período de carência até 31 de Janeiro de 2019.


G DATA Mobile Internet Security: 9 vezes seguidas obtendo as melhores classificações da AV-TEST

O G DATA Mobile Internet Security para Android alcançou, pela nona vez consecutiva, a maior pontuação no último teste dos analistas independentes da AV-TEST.

A AV-TEST analisou um total de 20 soluções de segurança para o Android, que foram testadas usando todos os seus níveis de funcionalidade e protecção. O G DATA Mobile Internet Security para Android convenceu em todas as secções do teste e atingiu uma taxa de detecção de malware de 100%, obtendo, consequentemente, uma nova certificação do AV-TEST.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *